Search This Blog

Monday, May 21, 2018

Dicas para perder peso baseadas em evidência


Pessoas ansiosas, deprimidas ou que fazem uso de medicamentos psiquiátricos podem ter dificuldade em controlar o peso, sendo o ganho de quilos relativamente comum. Como a indústria da perda de peso é cheia de mitos, você encontra no nosso blog uma lista de situações que são baseadas em evidência para ajudar a controlar a balança. Abaixo vão algumas:


Beba água, especialmente entre as refeições

Beber água aumenta seu metabolismo em 24-30% em um período de 1hora a uma hora e meia, ajudando a queimar mais calorias.  Um estudo mostro que beber meio litro de água meia hora antes das refeições ajuda a consumir menos calorias e perder 44% mais peso (1, 2, 3).

Coma ovos no café da manhã

Comer ovos tem vários benefícios. Substituir café da manhã baseado em grãos por ovos ajuda a comer menos calorias nas próimas 36 horas e perder mais peso e gordura corporal. Se você não pode consumir ovos, tudo bem. Qualquer fonte de boa proteína no café da manhã vai ajudar (4,5).

Beba café (preferencialmente puro)

Café de qualidade tem antioxidantes com vários benefícios para a saúde. O consumo de cafeína aumenta o metabolismo entre 3-11% e a queima de gordura entre 10 a 29%. Não encha seu café com açúcar ou outros ingredientes cheios de calorias. Se você sofre de ansiedade, consuma com moderação (6, 7, 8).

Beba chá verde

Como o café, o chá verde contém cafeína e antioxidantes que parecem ajudar a cafeína a queimar gordura (9, 10).

Use óleo de coco na cozinha

O óleo de coco tem altos níveis de gordura metabolizada de outra forma (medium chain triglycerides). Essas gorduras aumentam o metabolismo em 120 calorias por dia e podem reduzir o apetite em até 256 calorias por dia (11,12). Lembre-se que não serve se adicionar o óleo de coco aos seus alimentos, mas se substituir o óleo que usa por ele.

Corte o açúcar

O açúcar adicionado é o pior ingrediente da dieta moderna e a maioria das pessoas o consome em excesso. Diminua o açúcar e reduza o risco de obesidade e diabetes tipo 2. Confirme se seu “alimento saudável” não está cheio de açúcar.

Consuma menos carboidratos refinados

Carboidratos refinados são açúcar ou grãos sem fibras (como pão branco e massas). O consumo desses carboidratos faz com que seu nível de glicose suba rapidamente levando a fome logo a seguir e aumentando a ingesta em poucas horas. O consumo de carboidratos refinados leva a obesidade (13-14). Troque-o por fibras naturais.

Use pratos menores

É um pequeno truque que faz com que as pessoas consuma menos calorias automaticamente.

Tenha comidas saudáveis à disposição para quando sentir fome

Isso previne que você caia em tentação se ficar com fome demasiada. Carregue consigo frutas, uma porção de nozes, cenouras, iogurte ou ovos.

Faça exercícios aeróbicos

Fazer exercícios é uma forma excelente de queimar calorias, melhorar a ansiedade e o humor. Os exercícios aeróbicos são particularmente eficazes para perder a gordura abdominal, que pode acumular ao redor dos órgãos e aumentar o risco de doenças metabólicas (15,16).

Precisa de ajuda? Procure um profissional especializado em saúde mental e nutrição. Na Placitude a Laura, nossa nutricionista, está disponível para te ajudar.

Wednesday, May 16, 2018

Valorize sua família

A família nos apresenta ao mundo. Desde o primeiro contato com nossos pais, aprendemos a interagir com o ambiente, as regras de convivência social, lições valiosas sobre a vida, nossas crenças e valores.
O bom relacionamento familiar é de grande importância para a saúde e bem estar mental do indivíduo.
No caso dos transtornos mentais, a família é peça mais que importante na recuperação e socialização do paciente.

Por isso, valorize sua família!



Tuesday, May 15, 2018

Diabetes e depressão


Estudos demonstram que portadores de diabetes possuem um risco maior de entrar em depressão.
Embora ainda não haja explicações definitivas para essa relação, é preciso ficar atento para o estado emocional quando se tem a doença.
Segundo a American Diabetes Association, a depressão pode dificultar o tratamento da diabetes. Quando o paciente não consegue controlar seu índice glicêmico acaba se convencendo que perdeu o controle sobre a doença e negligenciando as tarefas necessárias para manter o controle glicêmico. Niveis muito altos ou muito baixos de glicemia provocam sensação de cansaço e ansiedade, o que torna Depressão e Diabetes juntos um verdadeiro ciclo vicioso.
A qualquer suspeita de depressão, não demore muito para buscar ajuda.

Monday, May 14, 2018

Psicoterapia



Na Placitude dispomos de uma ampla gama de tratamentos psicológicos, uma vez que sabemos da importância dessas abordagens para se obter uma vida mais feliz, plena e emocionalmente equilibrada: ➡Psicoterapia
➡Terapia Psicanalítica
➡Terapia Cognitiva Comportamental (TCC)
➡Terapia de Casal
➡Terapia em Grupo
➡Terapia Sexual
➡Testes neuropsicológicos

Entre em contato conosco para agendar: www.placitude.com.br


Sunday, May 13, 2018

Amigos e família


O ser humano é um animal social, portanto poder contar com amigos e familiares é de grande importância para uma vida longa e feliz.

Em um levantamento de dez anos feito com 1,5 mil idosos acima de 70 anos, realizado pelo Centro de Estudos do Envelhecimento da Universidade Flinders, Austrália, descobriu-se que aqueles com mais amigos e contatos sociais possuíam uma longevidade 22% maior.

Para aqueles que possuem algum transtorno mental, bons relacionamentos sociais e familiares são de grande importância para o sucesso dos tratamentos.
Portanto, é importante que as famílias recebam educação, assistência e suporte necessários para que amigos e familiares lidem com a situação da melhor maneira possível.

Saturday, May 12, 2018

Esquizofrenia

Dentre as principais doenças mentais, a esquizofrenia é a mais persistente e incapacitante.
Afetando cerca de 1% da população mundial, esta doença geralmente atinge pessoas entre 16 e 30 anos, quando se começa a perceber o próprio potencial.

A mente controla as funções básicas de pensamento, sentimento (emoções), percepção (os cinco sentidos) e comportamento. Normalmente, essas funções funcionam harmonicamente, permitindo: ➡Diferenciar fantasia de realidade
➡Manter a ansiedade sob controle
➡Responder emocionalmente de forma adequada
➡Sentir e interpretar o que acontece conosco
➡Manter o senso sobre quem somos
➡Estabelecer e manter relacionamentos com outras pessoas

Na esquizofrenia, a interação entre estas funções mentais encontra-se em desequilíbrio.
Delírios, alucinações, incapacidade de pensar claramente e conectar ideias, mudanças inexplicáveis de humor, sem razão ou aviso, são alguns sintomas da doença.

A esquizofrenia não tem cura, mas possui tratamento que permite controlar os sintomas e reintegrar o paciente ao convívio social.
Caso sofra desses sintomas ou conheça alguém que possa ter esquizofrenia, procure ajuda de um psiquiatra.

Friday, May 11, 2018

Alimentação saudável e saúde mental


Um dos principais pilares para uma boa saúde está na boa alimentação.
Tanto a saúde física, quanto a saúde mental são afetadas diretamente pela qualidade dos alimentos que ingerimos.

O ômega 3, por exemplo, é um óleo essencial a vida humana. Muitos estudos apontam sua eficácia ao auxiliar no tratamento da depressão. Encontrado no óleo de peixe, de preferência peixes de alto mar, e em diversos cereais e sementes, sendo o mais disponível o óleo de canola. Um alimento popular, bastante rico em Omega 3, é a sardinha em lata. 
Vitaminas do complexo B (principalmente B1 e B12), também são de vital importância. A falta dessas vitaminas pode estar associada a casos depressivos graves.
Essas vitaminas são encontradas em carnes, ovos, levedo de cerveja, leite e derivados. 
Além dos nutrientes supracitados, temos o ácido fólico, fibras, Vitaminas D e E, magnésio, cálcio, colina, ferro e zinco, que estão associados a uma boa saúde mental.

A dieta mediterrânea, famosa por seus alimentos integrais, gorduras insaturadas, maior consumo de peixes e consumo moderado de álcool, é apontada em pelo menos três estudos como sendo benéfica contra os transtornos de humor, diminuindo o número de casos depressivos. 
Alimentar-se bem pode ser a chave para uma boa saúde mental!

Thursday, May 10, 2018

Compulsão pelo trabalho

O gosto pelo trabalho é bastante nobre. O problema é quando este gosto se transforma em uma compulsão.
É comum a utilização do termo "Workaholic" para designar indivíduos que são "viciados" em trabalho. São pessoas cujo amor pelo trabalhar esbarra em todas as outras áreas da vida, prejudicando os relacionamentos, saúde e, ao contrário do que se pode imaginar, o próprio rendimento do trabalho do indivíduo.
O excesso de trabalho pode resultar em esgotamento físico e mental, gerando stress, problemas de memória, problemas de atenção e irritabilidade.
Insônia, mau-humor e até impotência estão ligados a este distúrbio.
Por isso, se você se reconhece um viciado por trabalho, talvez seja hora de procurar ajuda.

Wednesday, May 9, 2018

Ansiedade

Todos nós ficamos ansiosos ou nervosos de tempos em tempos. Porém há casos em que essa ansiedade faz parte do dia a dia, e torna-se um grande obstáculo. 
Preocupação excessiva diária com pequenas coisas, problemas de sono devido a preocupações, medos irracionais, constante tensão de músculos, indigestão crônica, medo excessivo de falar em público, pânico, perfeccionismo obsessivo, comportamentos compulsivos, flashbacks (reviver momentos perturbadores e traumáticos), roer unhas excessivamente, constantemente duvidar de si mesmo. 
Estes são sinais que podem indicar um dos transtornos mentais mais comuns dos tempos atuais: O Transtorno de Ansiedade.

Com a ajuda de um especialista, a ansiedade pode ser controlada e a normalidade da vida retomada. Por isso, não perca tempo! 
Se você possui alguns dos sinais citados, e sente que sua vida é prejudicada por eles, procure a ajuda de um psiquiatra.

Tuesday, May 8, 2018

Transtorno bipolar - Como familiares e amigos podem ajudar



Cerca de 1% das pessoas no mundo sofrem de transtorno bipolar, um transtorno de saúde mental que causa alterações de humor como mania (bipolar tipo I) ou hipomania (uma forma menos intensa de mania, chamado bipolar tipo II) e depressão. A Dra. Vanessa Marsden, psiquiatra, explica um pouco mais sobre o transtorno:


Segundo a dra. Vanessa pessoas com transtorno bipolar em tratamento adequado, capazes de manejar sua doença (self-care) e que contam com suporte de família e amigos podem viver vidas plenas e produtivas. Sem tratamento adequado o transtorno bipolar pode ter um efeito devastador na vida da pessoa, da família, nos relacionamentos e no trabalho. 

Como reconhecer a crise do transtorno afetivo bipolar (TAB)?

A dra. Vanessa explica que como o TAB envolve humor depressivo ou eufórico (mania), qualquer problema do humor pode anunciar a recorrência da doença. Em geral a fase maníaca progride de excitação para hipomania e, se não controlada, pode escalar para mania. O que a família enxerga primeiro é geralmente a hipomania. 

Por dias ou semanas o indivíduo afetado começa a dormir cada vez menos, parece ter energia ilimitada e está cheio de ideias. De início a pessoa parece engraçada e agradável mas com a progressão do quadro o humor se torna irritável ou instável. Pode ser que seu familiar passe a fazer uso de álcool e ou drogas às escondidas - problemas comuns em pessoas com TAB. Se seu familiar ou amigo estava em uso de medicamentos para o transtorno ele ou ela pode ter descontinuado o tratamento.  

Sinais de alerta incluem encontrar saques estranhos no banco e endividamento pessoal. Durante os estados de hipomania/mania a pessoa não tem julgamento adequado das situações e pode pôr-se em risco: sexo casual (e desprotegido), jogatina, dirigir em alta velocidade, frequentar lugares ou pessoas que não são os mais adequados.... Com o tempo e se o TAB não for tratado a euforia aumenta e a pessoa torna-se incapaz de terminar tarefas. Os comportamentos tornam-se cada vez mais arriscados para ela e para outros a seu redor. Não há senso crítico e torna-se inviável argumentar com uma pessoa que não está mais no controle de si mesma. 

O que você pode fazer?

primeira coisa a fazer é saber o que não fazer: não adianta brigar com seu familiar ou amigo. Pode ser a coisa mais difícil de todas. Uma dica da dra. Vanessa é uma combinação de escuta e barganha. Tente ouvir e perguntar mas não discutir ou impor. 
Barganha diz respeito à vida familiar ser uma via de duas mãos: você leva mas você também dá. Como familiar, que tipo de suporte você está dando para o paciente? Um celular, algum dinheiro, um local seguro para ele/a ficar. Todos são pontos que podem ser usados para negociar o que de fato o paciente necessita: avaliação e tratamento. Lembre-se: evitar uma briga não é a mesma coisa de ser desconectado do paciente. 
Segundo:  não tente resolver tudo sozinho. Transtornos mentais, são quadros muito comuns e isso quer dizer que outros - provavelmente na sua família estendida, mas também amigos e colegas - já trilharam esse caminho. Procure alguém em quem possa confiar e fale com ele. Pode ser o médico da família, um padre, pastor, alguém que conheça seu familiar ou amigo por algum tempo. Essa lição serve também para qualquer doença crônica como diabetes, câncer, Alzheimer e outras. Transtornos mentais como o TAB não são diferentes. 
Terceiro: você precisa entender que o manejo do TAB é uma maratona e não uma corrida de 100 metros. O envolvimento familiar deve persistir, perdurar para além de quando o paciente melhora da crise. A fibra moral da família ou da amizade vai ser testada mas não desista. O envolvimento do paciente na sua melhora ajuda no prognóstico do quadro. Não perca a esperança, não desita. Persiga a meta de longo prazo na sua mente e nos seus esforços. 
Recuperação
Recuperação, segundo a dra. Vanessa, diz respeito à vida ter sentido, propósito, dignidade e relacionamentos saudáveis. É o que todos buscamos e é possível para pacientes com TAB e muitos outros transtornos mentais. 







A Dra. Vanessa Marsden é mestre em Psiquiatria e Saúde Mental pela Universidade do Porto e psiquiatra na Placitude.

Monday, May 7, 2018

Ansiedade: 5 sinais que ela pode ser um problema


Todos sentimos medo, preocupações e estresse na vida. Às vezes esses sentimentos podem nos sobrecarregar. Se a ansiedade é uma experiência humana, como saber se ela é “normal” ou se você tem um transtorno de ansiedade?


O Dr. Renato R Silva, psiquiatra na Placitude, explica que tudo depende da frequência e intensidade de sua ansiedade.

Diferença de ansiedade e preocupação

A maioria das pessoas sente medo ou até mesmo um pânico breve quando confrontada com uma ameaça: quando alguém te corta de uma vez no trânsito ou quando seu filho pequeno some de sua vista em uma loja, por exemplo. Nessas situações você pode observar uma resposta física, como coração disparado, suor súbito e um nó no estômago.

A ansiedade é semelhante, mas vem de uma ameaça percebida ao invés de imediata, diz o Dr. Renato. Os sintomas de ansiedade variam de pessoa a pessoa e de acordo com a causa do estresse.  
O Dr. Renato explica transtornos de ansiedade comuns, com sintomas variados, incluindo:    
     
  • Transtorno de pânico: você pode sentir medo extremo ou ataques de pânico. Você pode apresentar palpitações no coração, taquicardia, falta de ar ou sensação de sufocamento.
  • Fobias: sua ansiedade faz um pico quando você encontra certas situações como espaços fechados, situações sociais ou sai de casa. Você pode sentir náuseas, sudorese ou tremores.
  • Transtorno obsessivo compulsivo: você tem medos, de germes, por exemplo, que fazem com que você tenha que fazer rituais compulsivamente, como lavar as mãos frequentemente.
  • Transtorno de estresse pós traumático: um evento traumático desencadeia esse tipo de ansiedade. Você pode sentir ataques de pânico ou sintomas mais gerais como alterações do sono, tensão muscular e preocupações constantes.
  • Transtorno de ansiedade generalizada: a característica deste transtorno é ansiedade constante que perdura e não é causada por experiências específicas. Você pode sentir os sintomas acima a qualquer momento. O Dr. Renato diz que é como “estar o tempo todo ligado, mas não de forma positiva”.

Quando você deve procurar seu médico?

Existem alguns fatores que diferenciam a ansiedade típica de condições mais sérias para as quais você deve procurar tratamento, segundo o Dr. Renato. Esses fatores incluem:

  • 1.       Intensidade – a sua ansiedade causa desconforto significativo ou os sintomas são intoleráveis?
  • 2.       Duração – os sintomas persistem mais do que a experiência que induziu a ansiedade? Por exemplo, você está estressado por uma prova e o estresse aparece dias antes e perdura por dias seguintes?
  • 3.       Interferência – a ansiedade reduz sua habilidade de funcionar, atrapalhando seu trabalho ou outras atividades?
  • 4.       Gatilhos – Você tem gatilhos que o incapacitam? Você tem tantos gatilhos que tem que parar de fazer atividades como sair de casa ou dirigir?
  • 5.       Afeta sua vida como um todo – considere como a ansiedade atinge as áreas de sua vida como trabalho e relacionamentos. Como seria sua vida sem a ansiedade? Seria significativamente diferente?

“Você tem que considerar o quanto afeta suas áreas de funcionamento”, diz o Dr. Renato. “Você pode evitar alguns gatilhos: se tem medo de animais grandes, não vá ao zoológico. Mas, se você tem medo de pessoas, isso se torna um problema maior”.

Como funciona o tratamento?

Se você decidir procurar tratamento, comece pelo seu clinico geral. Segundo o Dr. Renato, a maioria dos médicos consegue ter uma boa ideia de quão severa é sua ansiedade. Eles podem recomendar terapia, medicamentos ou os dois.

Dois tipos de medicamentos podem ajuda no controle dos sintomas:
Uso diário – você toma medicamentos regularmente para diminuir a ansiedade
Se necessário – você toma o medicamento quando tem uma crise.    
   
Seu médico pode encaminhá-lo para um psiquiatra que ajudará no manejo da medicação e do quadro.
A psicologia ajuda a aprender como controlar a ansiedade. Existem várias linhas de psicoterapia que podem te ajudar, entre elas a terapia cognitivo comportamental. A combinação de medicamentos e psicoterapia é a forma mais eficaz no tratamento dos transtornos de ansiedade.
“Se sua ansiedade tem um efeito negativo na sua vida, converse com seu médico sobre suas necessidades específicas. Reconhecimento e manejo são importantes”, diz o Dr. Renato. 

              







Dr. Renato R Silva, psiquiatra, mestrando em psiquiatria pela USP Ribeirão Preto e faz parte da equipe Placitude.

Sunday, May 6, 2018

Doença de Alzheimer


Um mal incurável. A doença de Alzheimer afeta, em sua maioria, pessoas idosas e causa demência ou perda de funções cognitivas como memória, orientação, atenção e linguagem.
O Alzheimer causa lesões (perda de neurônios) em áreas específicas do cérebro, como as responsáveis pela memória e funções que exijam planejamento e execução de tarefas complexas.
Há cerca de 35,6 milhões de pessoas com Alzheimer no mundo. Só no Brasil, são cerca de 1,2 milhões de casos, boa parte ainda sem diagnóstico.

Apesar de não ter cura, a doença pode e deve ser tratada.

Por isso, caso você suspeite da doença, ou conheça alguém que possa apresentar sintomas, procure um médico psiquiatra.

Pânico

Um ataque de pânico é o surgimento repentino de medo ou desconforto intenso, que atinge um pico em poucos minutos e tem pelo menos 4 desses sintomas: ➡Aumento da freqüência cardíaca
➡Suor excessivo
➡Tremedeira
➡Sensações de falta de ar ➡Sentimentos de bloqueio
➡Dor no peito ou desconforto
➡Náuseas ➡Tontura / sentir que vai desmaiar
➡Calafrios ou sensações de calor
➡Parestesia (sensações de dormência ou formigamento)
➡Desrealização (sentimentos de irrealidade) ou despersonalização (sendo separado de si mesmo) ➡Medo de perder o controle ou "enlouquecer"
➡Medo de morrer

Os ataques de pânico geralmente são confundidos com ansiedade, mas se diferenciam pela intensidade dos sintomas e pela curta duração.
As pessoas que sofrem com transtorno de pânico normalmente confundem os sintomas com situações de vida ou morte, e não raro aparece na emergência de hospitais, temendo outros ataques e evitando situações que percebem como situações de risco (praticar esportes que acelerem o coração ou situações que causem sufocamento, por exemplo). Ataques de pânico tem tratamento. Por isso, se você se identifica com esses sintomas ou conhece alguém que passa por esse tipo de situação, procure a ajuda de um psiquiatra.

Saturday, May 5, 2018

Terapia de casal



Relacionamentos podem ser um tanto problemáticos.
Muitas vezes a rotina, dificuldade de comunicação, infidelidade, ciúmes, entre outros fatores, acabam abalando um relacionamento e prejudicando a vida a dois.
Quando o relacionamento encontra algum obstáculo, a terapia de casal é de grande ajuda. Ela ajuda a analisar o ponto de vista de cada um dos cônjuges, as vontades, objetivos e nível de envolvimento de cada um na relação. Analisando, dessa forma, qual o real problema, para que haja um consenso sobre a melhor saída, de forma harmônica para o casal (independente se o relacionamento terá um término ou não). Caso seu relacionamento esteja passando problemas, procure pela ajuda de um profissional 

Thursday, May 3, 2018

6 formas de melhorar um dia ruim

Está passando por um daqueles dias em que tudo parece dar errado? Não se renda ao mal humor. Tente estas sugestões de terapia cognitivo comportamental:



Entenda seus sentimentos

O que está causando seu estresse? Raiva? Frustração, ressentimento ou tristeza? As pesquisas mostram que conhecer e nomear seus sentimentos ajuda a acalmar. Quando identificar o sentimento, escreva sobre ele em um diário ou fale com um amigo. 

Mexa-se

Para melhorar o seu dia você precisa ficar ativo. Ficar sentado dá a seus sentimentos tempo para aumentarem.Os estudos mostram que exercícios físicos produzem endorfinas e serotonina. Você não precisa passar horas na academia para se beneficiar, tente alguma atividade divertida. Seja brincando com o cachorro no quintal de casa, caminhando com um amigo na hora do almoço ou dar uma volta de bicicleta na praça, enfim, qualquer atividade será benévola. 

Faça algo que você goste

Distrações são pequenas bençãos. Assista um filme favorito, trabalhe em um hobby, organize sua coleção... se sua paixão envolve exercício físico (corrida, tênis, etc.), melhor ainda. Se você não consegue colocar sua depressão, raiva ou ansiedade de lado, não se preocupe. Mesmo que sua cabeça não esteja aí para a atividade, ela vai te beneficiar. Nós somos altamente motivados para que os mundos externo e interno estejam em concordância. Fazer algo que gostamos reduz essa "dissonância cognitiva" e melhora o humor. 

Faça uma "makeover" da sua atitude mental

Inspire profundamente e assegure-se que ter um dia ruim faz parte da vida neste planeta. Pense na figura completa: você vai se sentir assim por 5 minutos, 5 horas, 5 meses ou 5 anos? Diga para si mesmo: "Isso vai passar", "continue firme".
Ouvir música alegre também ajuda a melhorar o astral. Você não vai se sentir melhor instantaneamente, dê a si mesmo tempo para responder a seus sentimentos de forma produtiva. 
Ao final de um dia ruim, especialmente no trabalho, dê a si mesmo tempo para "descomprimir": espere uns 15 minutos no seu quarto, troque de roupa, para encerrar a pessoa que saiu do trabalho e entrar no papel de mãe, pai ou indivíduo que chegou em casa para repousar - e não remoer. 

Conecte-se com outros

O seu dia não foi bom até agora. Mas ele não acabou ainda. Feche o seu dia ajudando outra pessoa. Faça um trabalho voluntário ou então apenas um gesto de bondade. Ajude um familiar em uma tarefa, brinque com seu animal, etc. Quando você sente bondade, amor e gratidão, é difícil manter os sentimentos de raiva, tristeza ou ressentimento. 

Descanse

A melhor coisa a fazer ao final de um dia difícil? Ir para a cama em horário adequado e desligar ou limitar o uso de celulares, computadores e tablets uma hora antes de dormir. 7 a 8 horas de sono de boa qualidade é uma das melhores formas de se recuperar de um dia ruim. Geralmente, ao acordar, as coisas ficam em perspectiva e você consegue começar novamente nesse dia seguinte. 


Autismo


Segundo a OMS, o Transtorno do Espectro Autista (TEA) afeta 1 a cada 160 crianças.

O conceito de autismo é bastante amplo, com diversas nuances e características. Existem, porém, alguns padrões comportamentais de fácil identificação, como: repetição, dificuldade de comunicação/relação social e comprometimento das funções cognitivas.

As causas do autismo ainda são desconhecidas, muito embora estudos sugiram que o mesmo tenha origem genética.
Algumas pessoas teimam em dizer que o autismo teria uma relação com a utilização de vacinas para sarampo, caxumba ou rubéola. Mas não há qualquer prova que ligue o transtorno a qualquer vacina.

O TEA se manifesta em diferentes graus de severidade. Alguns portadores do autismo conseguem levar uma vida normal e produtiva, outras, no entanto, necessitam acompanhamento pelo resto da vida.
Quanto mais cedo o acompanhamento for realizado, melhor será o convívio com o autismo. 

Monday, April 30, 2018

Questionário de extroversão

Um dos 5 grandes tipos de personalidade é a extroversão. O teste abaixo é só para te dar 
uma ideia de como vai seu nível dessa qualidade. O teste é informal e não tem validade 
científica. Se quiser conhecer suas qualidades de forma adequada, agende conosco um 
teste neuropsicológico. Para maiores informações, clique aqui


 Marque como (V) verdadeiro ou (F) falso:


1. Prefiro conversas individuais a atividades em grupo.

2. Geralmente prefiro me expressar por escrito.

3. Gosto da solidão.

4. Pareço me importar menos que meus colegas com fama, fortuna e status.

5. Não gosto de jogar conversa fora, mas gosto de tópicos profundos que 

importam para mim.

6. As pessoas dizem que sou um bom ouvinte.

7. Não gosto muito de correr riscos.

8. Gosto de trabalhos que me permitam “mergulhar” como poucas interrupções.

9. Gosto de celebrar aniversários de maneira reservada, com apenas um ou 

dois amigos ou familiares.

10. As pessoas me definem como alguém de “fala mansa” ou “meigo”.

11. Prefiro não mostrar meu trabalho ou discutir sobre ele com os outros 

até ter terminado.

12. Não gosto de conflitos.

13. Trabalho melhor sozinho.

14. Tendo a pensar antes de falar.

15. Sinto-me exaurido depois de estar em público, mesmo que tenha me divertido.

16. Às vezes deixo ligações caírem na caixa postal.

17. Se você tivesse de escolher, preferiria passar um fim de semana com 

absolutamente nada para fazer a um com muitas coisas programadas.

18. Não gosto de fazer muitas coisas ao mesmo tempo.

19. Consigo me concentrar com facilidade.

20. Em situações de sala de aula, prefiro palestras a seminários.

Resultados



Quanto mais você respondeu mais "verdadeiro": você tem mais qualidades de 
introversão.
Se você respondeu mais "falso", você é mais extrovertido. 
Se há número parecido de verdadeiros e falsos: há uma ambivalência 
de sentimentos, dependendo da situação e de seu estado mental.

O questionário original você encontra no site da Revista Mente e Cérebro clicando AQUI

Sunday, April 29, 2018

Distimia

Conhece alguém que está sempre reclamando de problemas com o sono, que cochila pelos cantos, que aparenta sempre estar desinteressado, mal humorado e de difícil convivência?

Pessimismo, cansaço, mal humor, falta de disposição, sentimento de vazio, estes podem ser sinais de Distimia.
Só no Brasil, existem de 5 a 11 milhões de pessoas que sofrem deste mal.

A Distimia é uma forma de depressão que se difere de outras formas pelos seus sintomas mais leves porém de longa duração. Isso faz com que ela seja desacreditada como problema pelo portador ou ser, inclusive, subdiagnosticada pelos médicos.
Os portadores de Distimia costumam faltar muito ao trabalho, pois perdem o prazer nas atividades diárias, trazendo inúmeras consequências a quem sofre deste mal.

Distimia tem tratamento! 
Caso sinta que possui estes sinais, procure um especialista!


Saturday, April 28, 2018

Divirta-se!

Afastar-se dos problemas do dia a dia, passar um tempo com amigos e familiares, e fazer atividades que te dão prazer. Todos nós precisamos nos divertir de vez em quando.
Diversos estudos apontam que, uma vez que diminui o stress, o lazer é um importante fator preventivo contra sintomas psíquicos.
Divertir-se é essencial para uma vida de qualidade e nos mantém saudáveis física e mentalmente.
Tire um tempo para se divertir!

Transtorno bipolar


O transtorno bipolar afeta cerca de 1% da população mundial e é uma das doenças psiquiátricas que mais afeta a vida e a funcionalidade de seus portadores. 
Quem sofre desse mal pode alternar entre duas fases distintas: fases de mania (intensa euforia ou irritabilidade) e fases depressivas (tristeza, desânimo). O transtorno pode ser classificado em vários tipos, sendo os mais conhecidos: bipolar tipo 1 (pelo menos um episódio maníaco) e bipolar tipo 2(pelo menos um episódio hipomaníaco e um episódio depressivo). Caso você sofra de algo semelhante, procure ajuda.
A doença é tratável e os sintomas podem ser amenizados!